Quando um cão não é um cão

Cão pulando de um helicóptero para o mar

Quando o capitão Dustin Lee do exercito americano foi gravemente ferido por um foguete lançado por um insurgente no Iraque , Lex um Pastor Alemão ferido por estilhaços da explosão se levantou e se deitou em cima de Dustin Lee em um esforço para protegê-lo. Dustin Lee não sobreviveu aos ferimentos.

Estima-se que um “cão de guerra” em média salva 150 vidas de soldados em serviço em zonas de guerra. Estes “cães de guerra”são utilizados em patrulhas , na detecção de drogas e explosivos , e em missões especializadas , como o ataque da Marinha americana ao local onde Osama Bin Laden se encontrava no ano passado.

Mas enquanto estes cães caminhavam lado a lado com tropas na guerra do Vietnã, saltando de helicópteros nos braços de soldados e salvando vidas o departamento de defesa americano classificava esses cães militares como equipamentos , “equipamentos que você deixa pra trás”. Dos cerca de 4.900 cães que os Estados Unidos usaram no Vietnã , cerca de 1600 foram sacrificados no fim da guerra.

Felizmente hoje , os cães não são mais deixados em zonas de guerra. Em 2000, o presidente Bill Clinton assinou uma lei que permite que os cães fossem adotados, porém quando um cão é aposentado (9 anos de idade) em uma base no exterior e é adotado por alguém nos Estados Unidos , o adotante é cobrado pelo custo de transporte do cão que chega á $2,000.00 dólares apesar de aviões militares de carga que atravessam o mundo apenas com a metade da capacidade diariamente. “O dia em que o cão é aposentado , o cão é considerado equipamento em excesso e sem direito a qualquer transporte de volta” diz um militar.

Hoje o republicano Walter Jones tem trabalhado em um projecto de lei para reclassificar os cães como “K-9 membro das forças armadas” e não equipamentos. O tio Sam mandaram eles para a zona de guerra , é questão de honra que o tio Sam traga seus soldados de volta para os Estados unidos , sejam eles 4 ou 2 pernas.

O Pastor Alemão Lex que ficou ao lado de seu dono até os últimos momentos , e que protegeu o corpo até que tropas chegassem tem agora 11 anos de idade , sofre de trauma pós guerra e pedaços de estilhaços que causam complicações espinhal.

Reclassificar esses animais vai ajuda-los a muitos olharem diferente , como soldados que recebem tratamento e benefícios.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: